Gosto amargo após o derby no The Valley


Infelizmente os comandados de Kit Symons não conseguem provar para seus torcedores que na próxima temporada a equipe estará de volta para a elite do futebol inglês. Quando todos imaginavam que a expressiva vitória diante do QPR traria novos ventos para Craven Cottage, uma derrota em casa para os Wolves e um empate com um gosto bastante amargo contra o Charlton ontem, novamente sofrendo gols nos minutos finais, fizeram os fãs Whites voltarem para a dura realidade.

Sem poder contar com Tom Cairney, cumprindo seu primeiro de três jogos de suspensão após ter sido expulso no jogo anterior, Symons escalou Lasse Vigen Christensen para o seu lugar e manteve o mesmo time das duas últimas rodadas. Mas logo no primeiro minuto, Jordan Cousins deu um belo passe entre os zagueiros e deixou Conor McAleny na cara do gol, que tentou tirar do goleiro Andy Lonergan, mas acabou tirando do gol também e chutou pra fora.

Apesar de apresentar um bom toque de bola, o Fulham pouco assustava os donos da casa. Enquanto o Charlton chegou a meta de Lonergan por duas vezes, somente aos 24 a primeira chegada Cottager com perigo. Jazz Richards recebeu, tirou a marcação e mandou um bom chute de canhota, exigindo boa defesa de Nick Pope e com a resposta dos donos da casa vindo logo em seguida. Cousins tocou para McAleny que próximo da meia-lua e completamente livre de marcação chutou, a bola passou próxima ao travessão.

Tunnicliffe fez seu primeiro gol na temporada
O primeiro susto dos torcedores do Charlton com o seu goleiro veio aos 27. O’Hara arriscou um chute sem muita pretensão e por pouco Pope não entregou, com a bola passando por baixo de seus braços. Aos 32 veio o segundo susto e consequentemente o primeiro gol White. Ross McCormack bateu falta, o goleiro bateu roupa e Ryan Tunnicliffe pegou o rebote e empurrou para o fundo do gol. Após isso, pouca coisa aconteceu e assim terminou o primeiro tempo.

O Fulham começou melhor nos primeiros minutos do segundo tempo, chegando ao gol de Pope com Tunnicliffe e McCormack. Aos poucos o Charlton foi se encontrando no jogo e chegou algumas vezes ao gol de Lonergan. E quando se encontravam melhor, aos 59’ saiu o segundo gol. Dembélé cabeceou pra trás, Tunnicliffe pegou a bola, entrou na área e tocou para McCormack que dominou, tirou a marcação e bateu no contrapé do goleiro.

Festa de McCormack: era o gol da vitória. Era...
Logo após o segundo gol, Symons promoveu uma alteração sem muito nexo para os torcedores, tirando Ben Pringle, que estava dando boa consistência ao meio junto com O’Hara e Tunnicliffe, e colocou o lateral-esquerdo Luke Garbutt que voltava de contusão para jogar na meia.

E como vem acontecendo desde o começo da temporada, o time conseguiu complicar uma partida onde estava com a faca e o queijo na mão. Os donos da casa foram chegando com perigo, gostando do jogo e chegaram ao primeiro gol. Aos 81, escanteio para o Charlton, mas antes Johnnie Jackson entrou no jogo e foi pra área. Na cobrança, Jackson ficou sem marcação e de cabeça diminuiu o placar. E, aos 95, o incrível aconteceu. Grant cruzou da direita e Cousins, livre, na pequena área, empatou tudo. Decepção total para os visitantes.

A igualdade deixou o Fulham ainda longe do sonhado top-6: é apenas 13º colocado. Agora o time terá um pouco de tempo para treinar e tentar evitar novas decepções nos acréscimos - foi a quarta vez que um resultado do time foi alterado com gol após os 85 minutos. Os Cottagers voltam a campo após a data FIFA contra o Middlesbrough, novamente fora de casa.

Charlton: Pope; Solly, Alou Diarra, Bauer, Fox (Bergdich); Berg Gudmundsson, Ba (Jackson), Cousins, McAleny (Moussa); Ahearne-Grant, Watt.

Fulham: Lonergan; Jazz Richards, Stearman, Ream, Husband; Christensen, Tunnicliffe, O'Hara (Mattila), Pringle (Garbutt); McCormack, Dembele (Woodrow).



Fotos: Fulham FC

Nenhum comentário:

Postar um comentário