Últimos posts | Confira as novidades no Fulham

Fulham FC Brazil interview Lucas Piazon


Nota: Para conferir a entrevista em Português, clique aqui.

Fulham Football Club has been in existence for 138 years. A curious fact is that despite so many years of history and having had good times in the English football elite, no Brazilian-born player had played for the club. But on the last day of the transfer window for the 2016/17 season, Lucas Piazon from São Paulo was announced as a reinforcer and ended up becoming the first Brazilian to wear the Cottager shirt.

And recently, Fulham FC Brasil, responsible for bringing information and news from Fulham in Portuguese, got an exclusive interview with Piazon. That is, the main page related to Fulham in Brazil interviewing the first Brazilian player to play in the club.

Lucas Domingues Piazon, 23, is the result of the São Paulo Academy. After being featured in some tournaments among the youngsters of the team from São Paulo and also with the divisions of base of the Brazilian National Team, Piazon was signed by Chelsea in 2011, at age 17. In 2012, he was voted Chelsea's Young Player of the Year. He made his Premier League debut in December 2012, winning the Blues over Aston Villa 8-0, giving an assist to a Ramires goal. However, in January 2013, the player's loan cycle began: Malága (Spain), Vitesse (Netherlands), Eintracht Frankfurt (Germany) and Reading, until reaching Fulham. The striker signed for only six months, but in January of this year, Piazon renewed with Fulham until the end of the current season.

Signing of contract extension with Whites (source: twitter.com/lucaspiazon)
As a form of recognition to those who accompany us on social networks, we request through our Facebook and Twitter pages that our followers participate in the interview by sending us questions. Of the amount sent to us, five were chosen and included in the interview. In order not to leave the chat very extensive, we chose to include them along with those that were already in the script. Therefore, the questions that were asked by the followers will be underlined and will be accompanied by the name of the person in charge.

Fulham FC Brazil: By signing with Fulham, you became the first Brazilian to wear the cottager shirt. Was this fact known to you before you signed it or did you know it after being advertised as a reinforcement? How does it feel to know that you have entered the history of the club for this reason? (Noah Niall - https://www.facebook.com/noah.niall)

Lucas Piazon: So I did not know that I would be the first Brazilian to wear Fulham's shirt. 10, 20 years ago it was difficult for a Brazilian to come and play in England and I feel happy. It's a cool curiosity to tell in the future.

FFC Brazil: Your arrival at Craven Cottage in the deadline day was a surprise to many fans, as their hiring had not been speculated previously, as happens when rumors arise. Has the negotiation with the club been happening days before, or did everything happen even on the last day? What made you choose to play for Fulham? (@ Charlie_nico11)

LP: It ended up being on the very same day, on the 30th, everything very fast. Fulham has always been a team that has always attracted my attention since coming to England.

FFC Brazil: You ended up leaving Brazil very young, when you were still pointed with a promise from São Paulo. Why did you choose to go to Europe so early? Have you ever regretted making that choice?

LP: I never regret that decision and I took it because I thought it was the best thing to do. I do not regret it, quite the contrary, I'm very happy at Fulham.

FFC Brazil: Have you had any proposals to return to Brazilian football? If so, what made you continue playing in Europe?

LP: No firm proposal, but I do not even want to do it now.

FFC Brazil: Although you have arrived very young to Europe, you have already run through some countries. In recent interviews, you expressed your dissatisfaction with so many loans and the willingness to stabilize on some team. Do you believe that now, at Fulham, is the ideal time for this?

LP: I would honestly love to continue here.


His celebrations, always with a lot of intensity (fonte: fulhamfc.com)
FFC Brazil: You have played games for the main leagues in the world, such as BBVA, Bundesliga, Eredivisie and know the Premier League, even without having a run for Chelsea. What are the differences, in the style of play, in the structures and in general, of playing in these competitions when compared to Championship? And outside the four lines, what are the main differences of culture and conviviality in the five different countries that you played for? (@RicardoORamalho)

LP: Spain, Brazil and Holland have a similar style. Game in Spain is very tactical, not as frigid as here in England. Here and in Germany a little more is required in the sense of force, delivery. You have to be at your best every game.

FFC Brazil: How is being living in London again? What points do you like the most in the city?

LP: Reading is on the London side so I was always here, my favorite part is where I really live, between Fulham and Chelsea.

FFC Brazil: Coach Slavisa Jokanovic has been playing his highly praised style this season, even by supporters and coaches. What is it like to work under your command and adapt to this style?

LP: His playing style is offensive, work the ball, stay with the ball, swap passes and create chances. Perfect for a Brazilian.

FFC Brazil: The team has been making many goals, but also losing many opportunities. For the first time since he fell, he struggles to climb. What's missing for the team to be more consistent and get good results in sequence?

LP: It is normal to lose some chances when you create a lot. In recent games the team has been very focused on both defense and attack and this is what we need to be strong in both areas.

FFC Brazil: And how is the relationship with the other players in the cast? Who is the most outgoing and introverted player? Who's your best friend in the squad? Boa sorte! (@FulhamJason)

LP: Most outgoing is Kevin Mcdonald, no doubt. The quietest one is Ryan Sessegnon and with whom I approached a lot in recent weeks was Michael Madl.

Lucas Piazon aalongside defender Michael Madl (fonte: instagram.com/lpiazon)

FFC Brazil: Even with little time, you have already won the affection of the fans with their good performances and goals scored. Of all the clubs you've been on loan, is it in Fulham that you've reached your best performances? (Pedro Henrique - https://www.facebook.com/pedrohckruger)

LP: You could say that. In the Netherlands I had a big highlight as well, but here I think I'm getting more regular.

FFC Brazil: And finally, the question we get most from the fans who collaborated with the interview: Do you intend to continue at Fulham in 2017/18, regardless of the final result of the current season?

LP: The end result of this season would be just one detail in that decision. I would like to stay regardless of going up this year or not.

FFC Brasil: Lucas, here is our most sincere thanks for giving us this interview. We were extremely happy to interview the first Brazilian to wear the Fulham shirt and, like most of the fans, we hope their story at Craven Cottage continues for many seasons. A big hug and leave a message for the fans:

LP: Thanks for the fans and to accompany Fulham there from Brazil. I'm going to tell the people here about the club about your work and I think they will like to know that in Brazil there is a little bit of us too.

We would like to express our sincere thanks to Lucas Piazon for his willingness to give us this interview; To Fabiano de Souza (@fabianodesouza), his press advisor, who greeted us very gently, always very solicitous and was responsible for mediating our conversation with the player; To Matheus Schenk (@matheuschenk), a former blog contributor who answered our request and helped us with the interview, and finally thank all the followers who accompanied us and collaborated by sending us questions.

Fulham FC Brasil entrevista Lucas Piazon


Note: To check the interview in English, click here.

O Fulham Football Club possui 138 anos de existência. Um fato curioso é que, apesar de tantos anos de história e tendo passado bons momentos na elite do futebol inglês, nenhum jogador nascido no Brasil havia jogado pelo clube. Mas, no último dia da janela de transferências para a temporada 2016/17, o paulistano Lucas Piazon foi anunciado como reforço e acabou se tornando o primeiro brasileiro a vestir a camisa Cottager.

E, recentemente, o Fulham FC Brasil, responsáveis por trazer as informações e notícias do Fulham em português, conseguiu uma entrevista exclusiva com o Piazon. Ou seja, a principal página relacionada ao Fulham no Brasil entrevistando o primeiro jogador brasileiro a jogar no clube.

Lucas Domingues Piazon, 23, é fruto das categorias de base do São Paulo. Após se destacar em alguns torneios entre os jovens da equipe paulista e também com as divisões de base da Seleção Brasileira, Piazon foi contratado pelo Chelsea em 2011, aos 17 anos. Em 2012, foi eleito o Jogador Jovem do Ano do Chelsea. Fez sua estreia na Premier League em dezembro de 2012, na vitória dos Blues sobre o Aston Villa por 8 a 0, dando uma assistência para um gol de Ramires. Porém, em janeiro de 2013, teve início o ciclo de empréstimos do jogador: Malága (Espanha), Vitesse (Holanda), Eintracht Frankfurt (Alemanha) e Reading, até chegar ao Fulham. O atacante assinou por apenas seis meses, mas, em janeiro deste ano, Piazon renovou com o Fulham até o final da atual temporada.


Assinatura da renovação de contrato com os Whites (fonte: twitter.com/lucaspiazon)
Como uma forma de reconhecimento a quem nos acompanha nas redes sociais, solicitamos através de nossas páginas no Facebook e Twitter que nossos seguidores participassem da entrevista, nos enviando perguntas. Do montante que nos foi enviado, cinco foram escolhidas e incluídas na entrevista. Para não deixar o papo muito extenso, optamos por incluí-las junto as que já estavam no roteiro. Portanto, as perguntas que foram feitas pelos seguidores estarão sublinhadas e serão acompanhadas do nome do responsável.

Fulham FC Brasil: Ao assinar com o Fulham, você se tornou o primeiro brasileiro a vestir a camisa cottager. Já era do seu conhecimento este fato antes de assinar ou ficou sabendo depois de ter sido anunciado como reforço? Como se sente ao saber que você entrou para a história do clube por esse motivo? (Noah Niall - https://www.facebook.com/noah.niall)

Lucas Piazon: Então, não sabia que eu seria o primeiro brasileiro a vestir a camisa do Fulham. Há 10, 20 anos atrás era difícil um brasileiro vir jogar na Inglaterra e me sinto feliz. É uma curiosidade legal pra se contar no futuro.

FFC Brasil: Sua chegada à Craven Cottage no deadline day acabou sendo uma surpresa para muitos torcedores, visto que sua contratação não havia sido especulada anteriormente, como acontece quando surgem rumores. A negociação com o clube já vinha acontecendo dias antes ou tudo aconteceu mesmo no último dia? O que fez você optar por jogar pelo Fulham? (@charlie_nico11)

LP: Acabou sendo no último dia mesmo, no dia 30, tudo muito rápido. O Fulham sempre foi um time que desde minha vinda para a Inglaterra sempre me chamou atenção.

FFC Brasil: Você acabou saindo do Brasil muito jovem, quando ainda era apontado com uma promessa do São Paulo. Por que optou por ir tão cedo pra Europa? Em algum momento se arrependeu por ter feito essa escolha?

LP: Nunca me arrependo dessa decisão e eu tomei ela porque achei que fosse a melhor coisa a se fazer. Não me arrependo, muito pelo contrário, estou muito feliz no Fulham.


FFC Brasil: Você já teve alguma proposta para retornar ao futebol brasileiro? Caso sim, o que o fez continuar jogando na Europa?


LP: Proposta firme mesmo nenhuma, mas nem pretendo por agora também.

FFC Brasil: Apesar de ter chegado muito jovem à Europa, você já rodou por alguns países. Em entrevistas recentes, você expressou sua insatisfação com tantos empréstimos e a vontade em se estabilizar em alguma equipe. Acredita que agora, no Fulham, seja o momento ideal para isso?

LP: Sinceramente eu adoraria continuar por aqui.


Suas comemorações sempre com muita vibração (fonte: fulhamfc.com)
FFC Brasil: Você já disputou jogos pelas principais ligas no mundo, como a BBVA, Bundesliga, Eredivisie e conhece a Premier League, mesmo não tendo uma sequência pelo Chelsea. Quais as diferenças, no estilo de jogo, nas estruturas e de maneira geral, de jogar nessas competições quando comparado a Championship? E fora das quatro linhas, quais as principais diferenças da cultura e do convívio dos cinco países diferentes pelo qual você jogou? (@RicardoORamalho)

LP: Espanha, Brasil e Holanda têm um estilo mais parecido. Jogo na Espanha é bem tático, não é tão brigado como aqui na Inglaterra. Aqui e na Alemanha exige-se um pouco mais no sentido de força, entrega. Você tem que tá no seu melhor todo jogo.

FFC Brasil: Como está sendo viver em Londres novamente? Quais os pontos que mais gosta na cidade?

LP: Reading é do lado de Londres então eu tava sempre aqui, minha parte preferida é por onde eu moro mesmo, entre Fulham e Chelsea.

FFC Brasil: O técnico Slavisa Jokanovic vem tendo o seu estilo de jogo muito elogiado nesta temporada, até mesmo pelos torcedores e por técnicos adversários. Como é trabalhar sob seu comando e se adaptar a este estilo?

LP: Estilo de jogo dele é ofensivo, trabalhar a bola, ficar com a bola, trocar passes e criar chances. Perfeito para um brasileiro.

FFC Brasil: O time vem fazendo muitos gols, mas também perdendo muitas oportunidades. Pela primeira vez desde que caiu, luta para subir. O que falta para a equipe ser mais consistente e conseguir bons resultados em sequência?

LP: É normal perder algumas chances quando se cria muito. Nos últimos jogos o time tem se mostrado bem focado tanto na defesa quanto no ataque e é isso que nós precisamos, ser forte nas duas áreas.

FFC Brasil: E como é o convívio com os demais jogadores do elenco? Quem é o jogador mais extrovertido e o mais introvertido? Com qual jogador você possui mais afinidade? (@FulhamJason)

LP: Mais extrovertido é o Kevin Mcdonald, sem dúvidas. O mais quietinho é o Ryan Sessegnon e com quem eu me aproximei bastante nas últimas semanas foi do Michael Madl.


Lucas Piazon ao lado do zagueiro Michael Madl (fonte: instagram.com/lpiazon)
FFC Brasil: Mesmo com pouco tempo, você já conquistou o carinho dos torcedores com suas boas apresentações e seus gols marcados. Dentre todos os clubes para os quais você jogou por empréstimo, é no Fulham que você tem atingido as suas melhores exibições? (Pedro Henrique - https://www.facebook.com/pedrohckruger)

LP: Pode se dizer que sim. Na Holanda eu tive um destaque grande também, mas aqui acho que estou conseguindo ser mais regular.

FFC Brasil: E pra finalizar, a pergunta que mais recebemos dos torcedores que colaboraram com a entrevista: Pretende continuar no Fulham em 2017/18, independentemente do resultado final da temporada atual?

LP: O resultado final dessa temporada seria apenas um detalhe nessa decisão. Eu gostaria de ficar independentemente de subir esse ano ou não.

FFC Brasil: Lucas, fica aqui o nosso mais sincero agradecimento por ter nos concedido essa entrevista. Ficamos extremamente felizes em poder entrevistar o primeiro brasileiro a vestir a camisa do Fulham e, assim como grande parte da torcida, esperamos que sua história em Craven Cottage continue por muitas temporadas. Um forte abraço e deixe um recado paras os torcedores:

LP: Obrigado pela torcida e por acompanhar o Fulham aí do Brasil. Vou contar pro pessoal aqui do clube sobre o trabalho de vocês e acredito que eles gostarão de saber que no Brasil tem um pouquinho de nós também.

Queremos deixar os nossos mais sinceros agradecimentos ao Lucas Piazon pela disponibilidade em ter nos concedido essa entrevista; ao Fabiano de Souza (@fabianodesouza), seu assessor de imprensa, que nos atendeu muito gentilmente, sempre muito solícito e foi o responsável por intermediar essa nossa conversa com o jogador; ao Matheus Schenk (@matheuschenk), ex-colaborador do blog, que atendeu ao nosso pedido e nos ajudou com a entrevista e, por fim, agradecer a todos os seguidores que nos acompanham e colaboraram enviando perguntas.

Comunicado Fulham FC Brasil


O Fulham FC Brasil surgiu há cinco anos, fruto da paixão (sim, podemos chamar assim) de alguns malucos torcedores que gostavam de saber tudo sobre o mais antigo clube de Londres. Ao longo dos cinco anos, acompanhamos grandes momentos, como vitórias sobre os principais clubes da Premier League, e momentos de enorme frustração - não é preciso ir muito além das duas últimas temporadas para perceber.

Só que não está mais tão fácil manter as coisas atualizadas, e não queremos desistir deste projeto, um dos pioneiros nesta onda de perfis brasileiros de clubes europeus. Embora não sejamos oficializados pelo Fulham, temos a, digamos assim, audácia, de nos considerarmos o principal canal de informações do clube em português.

O blog vai entrar em uma pausa para reformulação, mas não vamos deixar vocês. Focaremos agora nas redes sociais: sigam a gente no @fulhamfcbrasil e curtam Fulham FC Brasil no Facebook. Estaremos informando tudo sobre o que rodeia Craven Cottage, como vocês já se acostumaram desde 2010. Continuem com a gente, porque nós continuamos com o Fulham.

Equipe Fulham FC Brasil

FIFA 16: Fulham in the game!



No começo do último mês de outubro, foi lançado aqui pelos lados tupiniquins o jogo Fifa 16. E eu, Jeferson Olsson, responsável por essa matéria, como torcedor White não via a hora de colocar as mãos no game, jogar com o Fulham e matar a curiosidade de como o time estaria nessa nova versão.

Afinal, convenhamos, o time montado por Felix Magath na temporada passada, se não animava nem ao mais fanático torcedor na vida real, imagina no videogame? Já para esse ano, bons nomes chegaram a Craven Cottage. Mas, se na atual temporada o time não consegue empolgar seu torcedor, no mundo virtual a experiência foi satisfatória.

FACES REAIS E ESTÁDIO

Infelizmente os jogadores dos times que disputam a Championship não possuem as faces reais dentro do jogo. As exceções são QPR, Burnley e Hull City, que na temporada passada disputaram a Premier League, ano em que a EA inseriu as faces reais dos jogadores e a inserção dos estádios licenciados, e possuem alguns jogadores com seus rostos fielmente representados.
Únicos jogadores que tiveram seus rostos parecidos
No Fulham, apenas três jogadores têm seus rostos parecidos com seus representantes da vida real: Scott Parker, Jazz Richards e Luke Garbutt, sendo os dois últimos porque estiveram no Swansea e Everton, respectivamente, no começo da temporada passada.
No mais, todos os demais rostos são genéricos e em sua grande maioria nada parecidos.

Pode até ser compreensível, mas não deixa de ser no mínimo estranho a câmera se aproximar de um determinado jogador e ele não se parecer em nada com a realidade. Tudo bem que a Championship não tem o apelo de uma Premier League, portanto os rostos não precisavam serem totalmente idênticos, mas a EA poderia dar uma caprichada e ter deixado os jogadores ao menos um pouco semelhantes.

Tom Cairney e Ross McCormack. Parecidos?
Os estádios também não são licenciados, com exceção novamente das três equipes citadas acima e que na temporada passada ainda estavam na elite do futebol inglês. Para os outros times, o mais próximo da realidade que podemos deixar é renomear algum dos estádios padrões oferecidos pelo jogo.

OVERALL

Nesse quesito o grande destaque do time, assim como também foi na versão anterior, continua sendo o meia Scott Parker. O camisa 8, apesar da idade, aumentou em um ponto sua média, tornando-o assim um dos grandes nomes do time dentro do jogo e entre os clubes que disputam a Championship.

Parker é o jogador com melhor overall do elenco. Bettinelli merecia melhor nota.
Por outro lado, quem decepcionou foi o goleiro Marcus Bettinelli. Apesar de ser o arqueiro titular e ter sido um dos grandes (e poucos) destaques do time na temporada passada, tendo inclusive seu nome ligado ao Chelsea nessa última janela de transferências, Bettinelli teve um aumento pouco expressivo em suas características e acabou ficando abaixo do seu colega de posição Andy Lonergan, com 66 de overall - contra 71 de seu companheiro de posição.

Praticamente todos os reforços que chegaram ao clube nessa última janela de transferências tiveram um aumento no seu overall. Nesse ponto, o grande destaque é o zagueiro Richard Stearman, que teve um aumento considerável na sua nota geral. Agora no Fulham o jogador está com 74, enquanto no Wolves estava com 70, o que o deixa como um dos jogadores com as melhores notas do elenco.


Stearman teve um aumento considerável em sua nota geral
A ESCOLHA DO EDITOR

Primeiramente tentei jogar com o time da forma como vinha sendo montado nos últimos jogos pelo até então técnico Kit Symons, mas não consegui me adaptar. Um dos principais problemas foi o fato de não ter um volante "cão de guarda" à frente da defesa. Portanto, jogar com Jamie O'Hara, Ben Pringle, Ryan Tunnicliffe e Tom Cairney no meio-campo não foi muito agradável.

Após algumas partidas, mudanças na formação tática e nos titulares, segue abaixo o time ao qual melhor me adaptei durante a jogatina. Vale ressaltar que isso não quer dizer que esse time montado seja o Fulham perfeito no Fifa 16, e sim que trata-se apenas do time com o qual eu melhor consegui jogar durantes os testes.  




Andrew Lonergan: ao menos no videogame, Lonergan acabou sendo melhor opção para defender a meta. Assim como na vida real, o goleiro passou muita segurança, realizando boas defesas e com boas saídas do gol.

Jazz Richards: é um jogador equilibrado, sendo um bom marcador e suas subidas ao ataque pelo lado direito são de grande ajuda, sendo por muitas vezes a válvula de escape do time por aquele lado do campo.

Richard Stearman: bom zagueiro tanto dentro quanto fora da área. Seu ponto forte são os carrinhos e as interceptações. A raça demonstrada na vida real, que nós torcedores do Fulham estamos conhecendo, também está presente no jogo.

Tim Ream: zagueiro muito técnico, que pelo fato de também poder atuar como lateral-esquerdo, passa muita segurança por esse lado da defesa. Tem uma boa impulsão, sendo uma de suas forças a bola aérea, tanto defensivamente quanto ofensivamente falando.

Luke Garbutt: não é um ótimo marcador, mas tem bom toque de bola e bons cruzamentos saem dos seus pés quando sobe ao ataque. Apesar de jovem, é um bom lateral e boa opção para o “Modo Carreira”.

Scott Parker: Mesmo com 34 anos (dentro do jogo), continua atuando com muita classe. É o cão de guarda da defesa com seu bom poder de marcação. Além disso, faz a ligação do setor defensivo e ataque com muita qualidade.

Jamie O’Hara: não tem o destaque como vem tendo na vida real, mas sua forma de jogar encaixou bem no time. Além de ajudar na marcação, consegue distribuir bem o jogo, desafogando por muitas vezes o meio-campo.

Alexander Kačaniklić: tem na velocidade sua principal característica. Jogador leve, tem boa facilidade pra driblar. Não ajuda tanto na marcação, mas sua velocidade é de grande valia com o time partindo em contra-ataque por exemplo.

Tom Cairney: é o maestro, fazendo jus à camisa 10 que escolheu utilizar. Sempre aparece como opção para receber a bola e tem muita facilidade em deixar um companheiro na cara do gol. Infelizmente seu bom poder de finalização na vida real não está presente no jogo.

Ross McCormack: é a referência no ataque Cottager, desempenhando o mesmo papel que na vida real. Tem um bom poder de finalização, sendo uma ótima opção para finalizações de fora da área. Seu senso de posicionamento também merece destaque.

Moussa Dembélé: a força, principal característica do jovem atacante, está presente no jogo. Ou seja, bate de frente com os zagueiros em disputas corpo-a-corpo. Além disso, Dembélé também tem a velocidade como trunfo.

Abaixo temos todos os outros jogadores que compõe o elenco do Fulham dentro do jogo. Não conhece algum dos novos jogadores que chegaram pra essa temporada? Fizemos um especial sobre todos os reforços ao final da janela de transferências. Confere aí!


DICAS RÁPIDAS

  • Ryan Fredericks: precisa de velocidade? É onde Fredericks se destaca, sendo o mais rápido do time.
  • Shaun Hutchinson: zagueiro forte, é uma boa opção para a defesa.
  • Ben Pringle: jogador de bastante fôlego, útil pra ajudar na defesa e apoiar o ataque;
  • Matt Smith: atacante de área, faz bem o pivô e pode ser de grande valia na bola aérea;
  • Bons nomes para o modo carreira: Tom Cairney, Moussa Dembélé, Luke Garbutt, Emerson Hyndman, Lasse Vigen Christensen, George Williams e Cauley Woodrow.
Fãs Cottagers, estão insatisfeitos com o time nessa temporada? Então podem começar tranquilamente um “save” no Modo Carreira comandando o Fulham. Com certeza será um desafio muito legal e, se na vida real o único sentimento que estamos sentindo nas últimas temporadas é de decepção, ao menos no videogame temos a chance de levar a equipe a grandes conquistas e enriquecer a história do clube.

Em jogo ruim, o empate prevaleceu


Passado o período de pausa da data Fifa, a única mudança no Fulham realmente foi o fato de Kit Symons não estar mais à beira do gramado passando instruções. Em uma partida fraca de ambos os times, o empate em 1 a 1 com o MK Dons, em Milton Keynes, acabou sendo o placar mais justo. Os gols saíram ainda no primeiro tempo, com Dean Bowditch abrindo o placar para os donos da casa e Moussa Dembele garantindo ao menos um ponto para os Whites. Mas o mesmo Dembele poderia ter mudado o rumo dessa partida, como veremos logo mais.

Peter Grant surpreendeu ao liberar a escalação do Fulham para essa partida. Após um período sem participar de partidas pelo time principal, Sean Kavanagh foi escalado para começar entre os titulares, atuando no meio-campo. Foi a primeira partida oficial do irlandês na temporada. Aos nove minutos, a primeira grande chegada com perigo do jogo foi do MK Dons. Bowditch passou por Jamier O’Hara, levou a bola para o meio e de fora da área mandou um lindo chute, mas o goleiro Joe Lewis fez ótima defesa e jogou para escanteio.

Kavanagh fez sua primeira partida na Championship
Aos 22, o lance que citamos anteriormente e que poderia ter feito o jogo tomar outros rumos. Ross McCormack tabelou com Tom Cairney e cruzou na medida para Dembele que, sozinho, só teve o trabalho de... Chutar por cima. O próprio francês ficou estirado no chão após o lance, sem acreditar no gol que havia perdido. E o castigo não poderia ter vindo de forma pior: Bowditch recebeu na risca da entrada da área, dominou e chutou. A bola bateu na trave esquerda e entrou, sem chances para Lewis.

Mas os Whites ainda conseguiram empatar o jogo antes das duas equipes descerem para o intervalo. Kavanagh chutou, a bola bateu em Cairney e sobrou para McCormack, que novamente encontrou Dembele dentro da área, e dessa vez ele não perdeu. O gol acabou enchendo de esperança os 3.371 torcedores Cottagers que compareceram ao estádio.

Dembele poderia ter dado a vitória, mas foi o responsável pelo empate
No segundo tempo, praticamente nada aconteceu, sendo que a melhor chance de gol foi do Fulham, já nos minutos derradeiros de jogo. Cruzamento da esquerda, a zaga não conseguiu cortar, Cairney ajeitou para McCormack e este chegou chutando, mas o defensor acabou tirando a bola em cima da linha.

Com 21 pontos e na 12ª posição, a zona de classificação aos playoffs encontra-se a sete pontos de distância, portanto, se o clube ainda almeja alguma coisa nessa Championship, o anúncio do novo técnico precisa ser feito logo. Enquanto a nós, torcedores, só resta acompanhar o time em mais uma péssima temporada, onde o pesadelo parece não estar próximo de acabar.

MK DonsMartin; Spence, McFadzean, Kay, Lewington; Potter, Poyet; Carruthers (Baker), Bowditch (Hall), Josh Murphy; Maynard (Church).

Fulham: Lewis; Fredericks (Voser), Stearman, Burn, Garbutt; O'Hara; Tunnicliffe (Mattila), Kavanagh; Cairney; McCormack, Dembele.


 
Fotos: Fulham FC