Repercussões: Tottenham 0-1 Fulham

O Fulham conseguiu um ótimo e surpreendente resultado em WHL
O Fulham surpreendeu e, após dez anos, venceu o Tottenham em White Hart Lane no último fim de semana. Com o triunfo por 1 a 0, os Cottagers consolidaram-se ainda mais distantes da zona de rebaixamento e na busca em permanecer na metade de cima da tabela.

O grande destaque e responsável pela vitória do Fulham no jogo, segundo a imprensa, foi o atacante Berbatov. Enfrentando seu ex clube, Berbatov mandou a bola para as redes após bom contra-ataque, e não comemorou em respeito ao clube que defendeu entre 2006 e 2008, diferente de Arsenal, Everton e Liverpool, que comemoraram bastante o gol, pois se beneficiaram da derrota dos Spurs, como lembraram alguns jornalistas.

Berbatov balança as redes

Segundo os jornais, a diferença no desempenho entre as equipes foi determinada graças ao calendário das duas equipes: o adiamento do jogo contra o Chelsea por conta da disputa das quartas de final da FA Cup entre os Blues e o United, o Fulham ficou praticamente duas semanas sem jogar, enquanto o Tottenham conseguiu a classificação na Europa League de forma dramática na prorrogação contra a Internazionale, em Milão, na última quinta feira.

A imprensa deu ênfase também a defesa Cottager, principalmente em um lance nos minutos finais em que o goleiro Mark Schwarzer defendeu um chute a queima roupa de Defoe e salvou a importante vitória do Fulham.


Schwarzer faz milagre no fim da partida

O técnico Martin Jol também mostrou sua visão sobre o jogo: “No primeiro tempo nós tentamos restringi-los e nós não jogamos tão bem quanto podemos, mas fomos muito organizados. No segundo tempo fomos melhores. Devíamos ter marcado o segundo gol com Dejagah e talvez com Hangeland também, mas não conseguimos e eles têm um time muito forte e tivemos de ficar atentos até o fim”.

Jol acredita que mesmo com algumas chances claras, o Tottenham não teve o domínio do jogo: “Então, Mark Schwarzer fez uma defesa inacreditável, mas, apesar de tudo, eles não tiveram 100% das chances, então fomos bem”.

O técnico do Fulham ressaltou a dificuldade de jogar contra um time com uma das melhores campanhas da Premier League jogando em seus domínios: “O que importa são os três pontos, e é bom que tenha acontecido aqui, porque White Hart Lane é muito difícil de jogar e conseguir um bom resultado. Eles tiveram quatro vitórias e uma derrota nos últimos cinco jogos pela EPL. Eles são fortes, mas nos mantemos simples contra Gareth Bale e Mousa Dembele e eu acho que provavelmente foi apartida mais quieta de Bale, então fomos bem”.


Bale não conseguiu brilhar nesta partida

Martin Jol também destacou a vitória por conta da posição na tabela: “Eu fiquei muito contente porque precisávamos dos três pontos. Há muitos times envolta de nós com 33 (pontos). Wigan Athletic tem um jogo na mão (jogo adiado com o Manchester City) e podem ir a 30 pontos, então terão dois ou três times nessa ‘bagunça’ e ninguém, quer estar entre os três piores”.

Mesmo como bom resultado, o técnico se atentou para os próximos jogos que serão difíceis e de extrema importância para os Whites: “Eu acho que devemos conquistar duas ou três vitórias (isto antes deste jogo), então precisamos de 38 ou 39 pontos. Mas nós jogamos contra os 4 Grandes – ainda faltam Chelsea e Arsenal para jogar em Craven Cottage. Nós tivemos algumas dificuldades em jogos fora de casa, mas temos esperanças que ficaremos bem”.

E a próxima partida do Fulham será em casa, em outro clássico contra o QPR, no dia 1°/04.