Fulham FC Brasil entrevista Lucas Piazon


Note: To check the interview in English, click here.

O Fulham Football Club possui 138 anos de existência. Um fato curioso é que, apesar de tantos anos de história e tendo passado bons momentos na elite do futebol inglês, nenhum jogador nascido no Brasil havia jogado pelo clube. Mas, no último dia da janela de transferências para a temporada 2016/17, o paulistano Lucas Piazon foi anunciado como reforço e acabou se tornando o primeiro brasileiro a vestir a camisa Cottager.

E, recentemente, o Fulham FC Brasil, responsáveis por trazer as informações e notícias do Fulham em português, conseguiu uma entrevista exclusiva com o Piazon. Ou seja, a principal página relacionada ao Fulham no Brasil entrevistando o primeiro jogador brasileiro a jogar no clube.

Lucas Domingues Piazon, 23, é fruto das categorias de base do São Paulo. Após se destacar em alguns torneios entre os jovens da equipe paulista e também com as divisões de base da Seleção Brasileira, Piazon foi contratado pelo Chelsea em 2011, aos 17 anos. Em 2012, foi eleito o Jogador Jovem do Ano do Chelsea. Fez sua estreia na Premier League em dezembro de 2012, na vitória dos Blues sobre o Aston Villa por 8 a 0, dando uma assistência para um gol de Ramires. Porém, em janeiro de 2013, teve início o ciclo de empréstimos do jogador: Malága (Espanha), Vitesse (Holanda), Eintracht Frankfurt (Alemanha) e Reading, até chegar ao Fulham. O atacante assinou por apenas seis meses, mas, em janeiro deste ano, Piazon renovou com o Fulham até o final da atual temporada.


Assinatura da renovação de contrato com os Whites (fonte: twitter.com/lucaspiazon)
Como uma forma de reconhecimento a quem nos acompanha nas redes sociais, solicitamos através de nossas páginas no Facebook e Twitter que nossos seguidores participassem da entrevista, nos enviando perguntas. Do montante que nos foi enviado, cinco foram escolhidas e incluídas na entrevista. Para não deixar o papo muito extenso, optamos por incluí-las junto as que já estavam no roteiro. Portanto, as perguntas que foram feitas pelos seguidores estarão sublinhadas e serão acompanhadas do nome do responsável.

Fulham FC Brasil: Ao assinar com o Fulham, você se tornou o primeiro brasileiro a vestir a camisa cottager. Já era do seu conhecimento este fato antes de assinar ou ficou sabendo depois de ter sido anunciado como reforço? Como se sente ao saber que você entrou para a história do clube por esse motivo? (Noah Niall - https://www.facebook.com/noah.niall)

Lucas Piazon: Então, não sabia que eu seria o primeiro brasileiro a vestir a camisa do Fulham. Há 10, 20 anos atrás era difícil um brasileiro vir jogar na Inglaterra e me sinto feliz. É uma curiosidade legal pra se contar no futuro.

FFC Brasil: Sua chegada à Craven Cottage no deadline day acabou sendo uma surpresa para muitos torcedores, visto que sua contratação não havia sido especulada anteriormente, como acontece quando surgem rumores. A negociação com o clube já vinha acontecendo dias antes ou tudo aconteceu mesmo no último dia? O que fez você optar por jogar pelo Fulham? (@charlie_nico11)

LP: Acabou sendo no último dia mesmo, no dia 30, tudo muito rápido. O Fulham sempre foi um time que desde minha vinda para a Inglaterra sempre me chamou atenção.

FFC Brasil: Você acabou saindo do Brasil muito jovem, quando ainda era apontado com uma promessa do São Paulo. Por que optou por ir tão cedo pra Europa? Em algum momento se arrependeu por ter feito essa escolha?

LP: Nunca me arrependo dessa decisão e eu tomei ela porque achei que fosse a melhor coisa a se fazer. Não me arrependo, muito pelo contrário, estou muito feliz no Fulham.


FFC Brasil: Você já teve alguma proposta para retornar ao futebol brasileiro? Caso sim, o que o fez continuar jogando na Europa?


LP: Proposta firme mesmo nenhuma, mas nem pretendo por agora também.

FFC Brasil: Apesar de ter chegado muito jovem à Europa, você já rodou por alguns países. Em entrevistas recentes, você expressou sua insatisfação com tantos empréstimos e a vontade em se estabilizar em alguma equipe. Acredita que agora, no Fulham, seja o momento ideal para isso?

LP: Sinceramente eu adoraria continuar por aqui.


Suas comemorações sempre com muita vibração (fonte: fulhamfc.com)
FFC Brasil: Você já disputou jogos pelas principais ligas no mundo, como a BBVA, Bundesliga, Eredivisie e conhece a Premier League, mesmo não tendo uma sequência pelo Chelsea. Quais as diferenças, no estilo de jogo, nas estruturas e de maneira geral, de jogar nessas competições quando comparado a Championship? E fora das quatro linhas, quais as principais diferenças da cultura e do convívio dos cinco países diferentes pelo qual você jogou? (@RicardoORamalho)

LP: Espanha, Brasil e Holanda têm um estilo mais parecido. Jogo na Espanha é bem tático, não é tão brigado como aqui na Inglaterra. Aqui e na Alemanha exige-se um pouco mais no sentido de força, entrega. Você tem que tá no seu melhor todo jogo.

FFC Brasil: Como está sendo viver em Londres novamente? Quais os pontos que mais gosta na cidade?

LP: Reading é do lado de Londres então eu tava sempre aqui, minha parte preferida é por onde eu moro mesmo, entre Fulham e Chelsea.

FFC Brasil: O técnico Slavisa Jokanovic vem tendo o seu estilo de jogo muito elogiado nesta temporada, até mesmo pelos torcedores e por técnicos adversários. Como é trabalhar sob seu comando e se adaptar a este estilo?

LP: Estilo de jogo dele é ofensivo, trabalhar a bola, ficar com a bola, trocar passes e criar chances. Perfeito para um brasileiro.

FFC Brasil: O time vem fazendo muitos gols, mas também perdendo muitas oportunidades. Pela primeira vez desde que caiu, luta para subir. O que falta para a equipe ser mais consistente e conseguir bons resultados em sequência?

LP: É normal perder algumas chances quando se cria muito. Nos últimos jogos o time tem se mostrado bem focado tanto na defesa quanto no ataque e é isso que nós precisamos, ser forte nas duas áreas.

FFC Brasil: E como é o convívio com os demais jogadores do elenco? Quem é o jogador mais extrovertido e o mais introvertido? Com qual jogador você possui mais afinidade? (@FulhamJason)

LP: Mais extrovertido é o Kevin Mcdonald, sem dúvidas. O mais quietinho é o Ryan Sessegnon e com quem eu me aproximei bastante nas últimas semanas foi do Michael Madl.


Lucas Piazon ao lado do zagueiro Michael Madl (fonte: instagram.com/lpiazon)
FFC Brasil: Mesmo com pouco tempo, você já conquistou o carinho dos torcedores com suas boas apresentações e seus gols marcados. Dentre todos os clubes para os quais você jogou por empréstimo, é no Fulham que você tem atingido as suas melhores exibições? (Pedro Henrique - https://www.facebook.com/pedrohckruger)

LP: Pode se dizer que sim. Na Holanda eu tive um destaque grande também, mas aqui acho que estou conseguindo ser mais regular.

FFC Brasil: E pra finalizar, a pergunta que mais recebemos dos torcedores que colaboraram com a entrevista: Pretende continuar no Fulham em 2017/18, independentemente do resultado final da temporada atual?

LP: O resultado final dessa temporada seria apenas um detalhe nessa decisão. Eu gostaria de ficar independentemente de subir esse ano ou não.

FFC Brasil: Lucas, fica aqui o nosso mais sincero agradecimento por ter nos concedido essa entrevista. Ficamos extremamente felizes em poder entrevistar o primeiro brasileiro a vestir a camisa do Fulham e, assim como grande parte da torcida, esperamos que sua história em Craven Cottage continue por muitas temporadas. Um forte abraço e deixe um recado paras os torcedores:

LP: Obrigado pela torcida e por acompanhar o Fulham aí do Brasil. Vou contar pro pessoal aqui do clube sobre o trabalho de vocês e acredito que eles gostarão de saber que no Brasil tem um pouquinho de nós também.

Queremos deixar os nossos mais sinceros agradecimentos ao Lucas Piazon pela disponibilidade em ter nos concedido essa entrevista; ao Fabiano de Souza (@fabianodesouza), seu assessor de imprensa, que nos atendeu muito gentilmente, sempre muito solícito e foi o responsável por intermediar essa nossa conversa com o jogador; ao Matheus Schenk (@matheuschenk), ex-colaborador do blog, que atendeu ao nosso pedido e nos ajudou com a entrevista e, por fim, agradecer a todos os seguidores que nos acompanham e colaboraram enviando perguntas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário