Repercussões: Bolton 3-1 Fulham


São cinco jogos sem vencer e apenas cinco pontos de vantagem sobre a zona de rebaixamento. A má fase do Fulham escancara diversos problemas na equipe, como falta de peças de reposição e uma defesa que segue vazando - já foram 53 gols sofridos, o terceiro pior índice entre todos os 92 times das quatro primeiras divisões inglesas. Apenas Blackpool (Champ) e Crawley (League One) tomaram mais gols.

"No primeiro tempo jogamos bem e fomos, de longe, o melhor time. Devíamos ter marcado mais gols, mas uma falha rendeu o empate a eles em nosso ponto de vista", comentou o técnico Kit Symons após os 3 a 1 em Bolton.

"Tudo o que foi dito no intervalo foi mais do mesmo. Tínhamos de levantar a cabeça, seguir correndo e causando problemas, e nada disso foi feito. De repente estávamos nervosos com a bola, sem mantê-la conosco. O segundo gol (do Bolton) foi determinante. Tínhamos muitos jogadores no lance, não poderíamos ter tomado o gol", prosseguiu o manager.

Os jogadores também pensam que o desempenho desandou no decorrer da partida no Macron Stadium. "É difícil dizer o que deu errado. Não é a primeira vez que saímos de um jogo fora de casa com a sensação de ter ido muito bem no primeiro tempo, e voltamos para casa sem nada. Há coisas que precisamos melhorar", afirmou o meia Lasse Christensen.

O dinamarquês disse ainda que o desempenho dos primeiros 45 minutos mostrou que o time pode "jogar um realmente muito bom futebol, criar chances e dominar a partida, mas no segundo tempo desligamos e não conseguimos nada".

Bryan Ruiz - Kit Symons confirmou ainda que a papelada para a transferência de Bryan Ruiz para o Levante, da Espanha, não chegou a tempo de o meia ser inscrito pelo time de Valencia em sua liga nacional. Com isso, o jogador prossegue no Fulham, com quem tem contrato até o fim desta temporada - devendo, portanto, sair de graça no meio deste ano.

"Infelizmente a transferência de Bryan foi rejeitada, o que é muito desanimador para o jogador e para o Levante. Não podemos fazer nada. Vou falar com Bryan, e com certeza gostaria de vê-lo jogando conosco o mais breve possível. É um golpe para ele, mas ele tem um grande caráter e ama jogar futebol, então ele só quer voltar e jogar", destacou Symons sobre o fato.

Foto: Get West London

Nenhum comentário:

Postar um comentário