Repercussões: West Ham 3-0 Fulham


Sabemos que, no último sábado, o Fulham perdeu para o West Ham por 3 a 0, em clássico londrino no estádio Upton Park. Sabemos também que a quinta derrota consecutiva na Premier League, antes tarde do que nunca, custou o emprego de Martin Jol.

Agora é a hora de vermos como foram as repercussões do jogo, na opinião do agora ex-técnico do Fulham. Na tradicional entrevista coletiva após o confronto, Jol finalmente havia admitido o que todos nós já sabíamos: o time precisa de mudanças.

"Lidamos com a bola e tivemos algumas boas chances no primeiro tempo. Houve uma oportunidade com Darren Bent e do time da casa com George McCartney quando ele estava cara a cara com o goleiro. Mas o primeiro tempo foi bom", afirmou o holandês.

"Na segunda metade do jogo, nós saímos e eles marcaram imediatamente. Nos desligamos no meio-campo, Scott Parker foi ao chão, Steve Sidwell perdeu a bola e um desvio nos matou", refletiu o treinador sobre o primeiro gol do West Ham, anotado a dois minutos da etapa final.

Kieran Richardson estava à espera de ser substituído depois de pegar uma distensão muscular, mas antes que ele pudesse sair, Stewart Downing o venceu pela direita e cruzou para Carlton Cole para marcar.

"No segundo gol, queríamos tirar Kieran, com um problema no tendão, mas ele ainda tinha que correr e eles marcaram o segundo", revelou Jol . "Trouxemos Moussa Dembélé pela primeira vez e depois de 30 segundos ele teve um problema no tendão e não podia correr. Ele foi a minha última substituição e isso resumiu tudo".

Sobre a má campanha do Fulham e os resultados negativos, Jol continuou: "Estamos em uma situação difícil, mas temos que trabalhar duro nos treinos e tentar conseguir a nossa confiança de volta, mas não é fácil. Três clubes descem e nós jogamos 13 jogos, há um monte de jogos por vir. Você tem que ser forte mentalmente e lutar pelos pontos e eu sou um lutador. Nós sempre nos reagrupamos."

O treinador fez três alterações na equipe que perdeu por 2 a 1 para o Swansea City na semana passada e ficou satisfeito com a contribuição de Adel Taarabt, que teve uma oprtunidade no time titular.

"No primeiro tempo fizemos tudo certo - nós jogamos com diferentes jogadores", disse Jol. "Dimitar Berbatov estava indisponível e eu deixei para Bryan Ruiz tentar algo diferente, porque queríamos jogar com mais ritmo. Adel foi muito bem no primeiro tempo, mas não conseguimos aproveitar as chances que tivemos".

"Eu sinto que o Fulham vai ficar bem. É uma questão de mostrar a sua capacidade de resistência e que você pode fazer", finalizou o agora ex-técnico dos Cottagers.
 
Opinião do blog: finalmente Shahid Khan enxergou que Martin Jol não vinha conseguindo fazer um bom trabalho e por isso deveria deixar o clube, antes que a situação ficasse irreversível. Esperamos que Rene Meulensteen, ainda que provisoriamente, consiga fazer um bom trabalho no comando técnico do Fulham.

COME ON YOU WHITES!