Gol no final derruba Fulham. E Martin Jol?


Na última semana, o proprietário Shahid Khan afirmou que não agiria "por impulsão" para tirar Martin Jol do comando técnico do Fulham. Porém, depois de dois jogos com péssimas atuações, talvez o paquistanês/americano possa ser forçado a mudar de ideia. O Fulham voltou a ter uma atuação pobre, levou 4 a 3 do Leicester, da segunda divisão, e foi eliminado na quarta fase da Copa da Liga Inglesa.

Diferentemente do duelo com o Everton, na fase anterior, desta vez Jol optou por um time quase todo reserva para o jogo no estádio King Power. Ao total, foram nove alterações em relação à derrota para o Southampton, pela liga inglesa, no último sábado. Destaque para os retornos de Hughes na defesa - o norte-irlandês foi o capitão Cottager - e para Riise na lateral, depois de o norueguês ser considerado carta fora do baralho para o manager.

Em campo, o que se viu foi um amontoado de jogadores desorganizados tentando pressionar um adversário que também não usou o que tinha de melhor, poupando-se para manter a boa campanha na Championship. Os Whites abriram o placar com Rodallega, uma das novidades de Jol entre os titulares. O gol veio na pequena área, após passe rasteiro de Riise.

Contudo, faltando quatro minutos para o intervalo, o Fulham deu sinais de que a defesa não suportaria o ataque reserva do rival. Aos 41, Knockaert cobrou falta, Stekelenburg falhou, deu rebote e Morgan empatou; aos 45, Senderos errou a saída de bola e Wood virou o escore para os mandantes.

Para o início da segunda etapa, as coisas não poderiam ser piores para o Fulham. Logo a três minutos, Drinkwater mandou na área e Miquel, livre, de cabeça, fez 3 a 1. No minuto seguinte, Rodallega aproveitou cruzamento de Zverotic e descontou, mas logo na sequência o colombiano deixaria o campo lesionado.

Karagounis empatou aos 40, mas...
Na base da correria, o Fulham buscou pressionar e esteve perto do empate quando Ruiz (que entrara no decorrer do segundo tempo) obrigou Schmeichel a fazer uma bela defesa. Aos 39, o time de Jol reclamou de um pênalti não-marcado. O juiz, erroneamente, assinalou falta. E, na cobrança, Karagounis bateu com força para empatar tudo em 3 a 3.

Mas, quando parecia que a definição do classificado iria para o tempo-extra, a zaga londrina resolveu facilitar mais uma vez. Dyer, que entrou no intervalo no lugar do ex-Cottager Konchesky, foi quem decretou a classificação heroica do Leicester, o único sobrevivente da segunda divisão na próxima fase da Copa da Liga. O gol veio em jogada de velocidade da direita, numa assistência perfeita para Dyer.


Com um aproveitamento inferior a 35% dos pontos em dois anos de trabalho, Martin Jol foi fortemente vaiado pelos fãs Cottagers. Será que eles verão novidade no banco do time para o duelo do próximo fim de semana, diante do Manchester United, no Craven Cottage?

Leicester: Schmeichel, Wasilewski, Morgan, Drinkwater, Konchesky (Dyer), Schlupp, James, Hammod, Miquel, Knockaert (Nugent) e Wood (Vardy).
Fulham: Stekelenburg, Zverotic, Hughes, Senderos, Riise, Karagounis, Boateng (Sidwell), Taarabt, Duff (Ruiz), Kacaniklic e Rodallega (Bent).

Fotos: Fulham FC