As dez melhores contratações gratuitas do Fulham

Para esta temporada, o zagueiro Fernando Amorebieta e o volante Derek Boateng vieram de graça para o Fulham com o fim de seus contratos por Athletic Bilbao e Dnipro, respectivamente. O site oficial dos cottagers listou, neste meio de semana, as dez melhores contratações gratuitas feitas pelo Fulham ao longo de seus 134 anos. E nós apresentamos essa lista pra você.

Ray Houghton - junho de 1982
Houghton, então com 20 anos, veio sem custos do West Ham. A aposta acabou se revelando um grande negócio: o irlandês disputou três temporadas pelo Fulham, faltando a apenas dois jogos em todas as campanhas. O time londrino foi o segundo pelo qual Houghton mais vezes entrou em campo, e também o segundo pelo qual mais marcou gols - perdendo, em ambos os quesitos, apenas para o Liverpool. Foram ainda 73 partidas pela seleção da Irlanda.

Mick Adams - julho de 1994
Dispensado do Sunderland, Adams fez apenas 37 aparições pelo Fulham. Contudo, foi o bastante para ser artilheiro do time em sua temporada de estreia, com 12 gols. Apontado como técnico-jogador, salvou o time do rebaixamento para a quarta divisão nacional em 1994/95, antes de conquistar o acesso na temporada seguinte.

Mark Blake - setembro de 1994
Depois de um período em Hong Kong, Blake se tornou um dos pilares do setor defensivo cottager. Cobrador de pênaltis, foi eleito o jogador da temporada em sua primeira campanha no clube, onde faria ainda 161 jogos e 20 gols - é um dos defensores com mais gols marcados pelo Fulham.

Kit Symons - julho de 1998
Symons
Foram três anos de sucesso no Manchester City até que o zagueiro optasse por retornar ao futebol londrino. A escolha foi o time white, onde faria uma dupla memorável ao lado do também galês Chris Coleman na campanha dos acessos na terceira e segunda divisões. Tamanho sucesso rendeu a Symons um lugar especial no coração dos fãs e também uma oportunidade após o fim de sua carreira como jogador. Hoje, o ex-zagueiro é técnico do Fulham sub-21.

Melville
Andy Melville - junho de 1999
A contingência galesa em Craven Cottage aumentou ainda mais após Melville ser liberado pelo Sunderland para atuar em Londres. Então com 30 anos, o meio-campo foi um dos pilares do time por quatro anos. Com o título da segunda divisão e também da Copa Intertoto, Melville se despediu do Fulham após um número significativo de jogos como capitão.

Jerome Bonissel - agosto de 2003
O lateral-esquerdo francês não fez um grande número de jogos pelos whites, mas com a saída de Rufus Brevett para o West Ham, acabou sendo um achado do técnico Chris Coleman. Vindo sem custos do Rangers, Bonnissel era garantia de estabilidade e uma ameaça para os defensores rivais. Porém, uma grave lesão encurtou sua carreira - à época, o Fulham era quarto colocado na liga inglesa.

Bocanegra
Carlos Bocanegra - janeiro de 2004
A lesão de Bonnissel fez Coleman buscar um nome que faria ainda mais sucesso em Cottage. Aos 24 anos, Bocanegra estava de saída do Chicago Fire após ser nomeado o defensor do ano nos Estados Unidos. Versátil, podendo atuar na lateral-esquerda, no miolo da zaga e até no meio-campo, o americano fez 136 jogos e oito gols pelos londrinos.

Mark Schwarzer - maio de 2008
O goleiro australiano veio após o fim de seu contrato pelo Middlesbrough - e também após rejeitar gigantes como Juventus e Bayern de Munique. Durante os cinco anos em que foi o camisa 1, foi o melhor jogador dos cottagers em 2008/09 e fez memoráveis atuações no vice-campeonato europeu de 2010. No início de 2013, tornou-se o primeiro estrangeiro a atingir 500 partidas na Premier League.

Murphy
 Danny Murphy - junho de 2008
Murphy chegou ao Fulham no início de 2008, emprestado pelo Tottenham, e marcou o gol que manteve os whites na elite, no jogo contra o Portsmouth. Contratado em definitivo, tornou-se o capitão do time em sua melhor época, com ótimas campanhas na liga e a decisão da Liga Europa. Ao todo, o veterano realizou 169 jogos e anotou 17 gols.

Zoltan Gera - junho de 2008
Depois de rejeitar um novo contrato pelo WBA, o meia-atacante húngaro brilhou logo em sua primeira temporada, a de 2008/09 - marcou um histórico gol de meia-bicicleta em uma vitória sobre o Manchester United. Na campanha seguinte, seis gols na Liga Europa e sua dedicação e entrega o fizeram virar um dos grandes ídolos da década do Fulham. Ao total, em 121 jogos, marcou 17 vezes.