Obrigado por tudo, Mohamed Al-Fayed


Daqui há algum tempo, lembraremos do dia 12 de julho de 2013 como o dia em que Mohamed Al-Fayed vendeu o Fulham para Shahid Khan. Após 16 anos sob a batuta do maestro egípcio, uma era chega ao fim em Craven Cottage e outra começará.

Muitas vezes, nós do blog criticamos o modelo de gestão de Al-Fayed, dizendo que faltava investimento para o Fulham obter bons resultados. Mas para falar a verdade, se não fosse este senhor de 84 anos, talvez nem estivéssemos aqui hoje.

O começo nas divisões Inferiores

Al-Fayed na sua primeira temporada como chairman.
Na foto: Aruther Cox (D), Ray Wilkins e Kevin Keegan
Tudo começou em 1997, quando o bilionário egípcio comprou o Fulham, na época recém-promovido para a terceira divisão. Apesar da promoção, o clube encontrava-se em situação financeira complicada, com muitas dívidas e em busca de um "milagre financeiro".

Al-Fayed não só assumiu o clube e as dívidas, como também prometeu trazer o clube de volta è elite do futebol inglês no prazo de cinco anos. Para tal feito, Al-Fayed recrutou os experientes Ray Wilkins e Kevin Keegan, para as funções de treinador e coordenador técnico, respectivamente.

Na primeira temporada, a promoção não veio e após divergências com Al-Fayed, o técnico Ray Wilkins acabou saindo do clube. Com isso, o comando do time dentro de campo caiu nas mãos do lendário Kevin Keegan, que na temporada seguinte levou o Fulham ao título da League One e saiu logo depois para assumir o cargo de treinador do English Team.


Em 2001, a conquista da championship com o técnico Jean Tigana
Após a saída Keegan, coube ao assistente Paul Bracewell comandar o Fulham na primeira temporada na Championship, em uma campanha regular. Mesmo competindo na parte de cima da tabela, Al-Fayed demitiu o treinador em 30 de março de 2000, para talvez tomar a decisão mais acertada nestes 16 anos.



O escolhido da vez foi Jean Tigana, que fez história como jogador da seleção francesa e até então, não havia feito um grande trabalho como treinador. Graças ao investimento de Mohamed Al-Fayed, foi montado um time que marcaria época em Craven Cottage, contando com jogadores como Chris Coleman, Rufus Brevett, Steve Finnan, Lee Clark, John Collins e Louis Saha.

O título da Championship 2000/2001 veio até com certa facilidade, visto que o Fulham somou 101 pontos durante a temporada, dez a mais que o vice-campeão Blackburn Rovers. Destaque para o artilheiro Louis Saha, artilheiro da liga com 27 gols.

A volta à elite do futebol inglês e suas dificuldades

Edwin Van Der Sar: a contratação mais badalada da era Al-Fayed
Na temporada 2001/2002, que marcou a volta do Fulham à Premier League, veio a mais famosa contratação da gestão Al-Fayed. Estamos falando de Edwin Van Der Sar, na época goleiro titular da seleção holandesa, que chegou ao Fulham por 7,1 milhões de libras.

Entre altos e baixos, classificação para competições europeias, trocas de técnicos e pelo menos um quase rebaixamento, o Fulham foi se consolidando aos poucos na Premier League.

Temporada 2009/2010: O título que escapou das mãos

Roy Hodgson: uma aposta que rendeu bons frutos
Em 28 de dezembro de 2007, Mohamed Al-Fayed surpreendeu a todos os torcedores, ao apostar em Roy Hodgson para o substituto de Lawrie Sanchez. Um técnico experiente, porém desacreditado e com trabalhos mais expressivos somente no futebol da Suécia.


Mais uma vez, foi hora de Al-Fayed investir na montagem de um time competitivo, inicialmente para a disputa da Premier League. A longo prazo, alguns jogadores chegaram ao Fulham, tais como Mark Schwarzer, Brede Hangeland, John Pantsil, Damien Duff, Zoltán Gera e Bobby Zamora.
Em pé: Zamora, Hangeland, Schwarzer, Hughes, Gera e Etuhu
Agachados: Davies, Murphy, Duff, Konchesky e Baird

Após o 7º lugar na temporada 2008/2009, que rendeu a classificação a UEFA Europa League, veio o momento mais importante da história do Fulham: a aventura europeia!

A campanha do vice-campeonato da Europa League, que não por acaso nos fez criar este blog, até hoje é lembrada por todos os torcedores cottagers. A vitória heróica sobre o Basel, a polêmica com o Shakhtar, a goleada sobre a Juventus e até mesmo a sofrida derrota na final contra o Atlético de Madrid não seriam possíveis sem Al-Fayed.

Mark Hughes, Martin Jol, Berbatov e a venda do Fulham


Após a saída de Roy Hodgson, que na época deixou o Fulham para assumir o Liverpool, Al-Fayed apostou em Mark Hughes para ser o novo técnico do clube. Um técnico que fez milagres no Blackburn Rovers, mas foi muito contestado nos demais clubes por onde passou como treinador.

No entanto, desta vez, a aposta não deu certo e apesar do 8º lugar na Liga e da classificação para mais uma UEL via Fair Play Table, "Sparky" acabou demitido e o carinho da apresentação (foto) virou uma grande troca de farpas através da imprensa.


Da temporada 2011/2012, até os dias atuais, o comando técnico fica por conta do holandês Martin Jol. Atualmente, o Fulham passa por um período de renovação do grupo de jogadores, onde o grande astro da equipe é o atacante búlgaro Dimitar Berbatov.
Al-Fayed e Shahid Khan: bigode é a marca registrada do novo chairman
Em 12 de julho de 2013, foi anunciada oficialmente a venda do Fulham, para o bilionário paquistanês naturalizado americano Shahid Khan. Sendo assim, só temos a agradecer à Al-Fayed, por estes 16 anos de lealdade e respeito a história e a torcida do Fulham.

Obrigado por tudo, Mohamed Al-Fayed!