Internacionais Cottagers: decepção para Hangeland e Riise


Riise (6) vê Salihi marcar o gol albanês
Dezesseis jogadores do Fulham foram chamados nesta semana para representar suas seleções nacionais na data FIFA. Deste total, o resultado mais frustrante foi para os norugueses Brede Hangeland e John Arne Riise, que foram titulares em uma surpreendente derrota, como mandante, para a Albânia. Vamos dar um giro pelas partidas.

Pelo grupo E, em Oslo, os albaneses conseguiram uma incrível vitória por 1 a 0, graças a um gol já no segundo tempo. Hangeland, capitão do time, e Riise viram seu país despencar para o quarto lugar da chave, que é liderada pela Suíça.

Os suíços voltaram do Chipre com um ponto graças ao empate em 0 a 0. Philippe Senderos entrou no segundo tempo. A equipe da terra do chocolate tem 11 pontos, dois a mais que os albaneses.

Quem também não saiu satisfeito com o seu resultado foi Giorgos Karagounis. O veterano meio-campo nada pode fazer para evitar a derrota da Grécia para a Bósnia, em Sarajevo, por fáceis 3 a 1. Com 13 pontos, os bósnios se isolaram na ponta da chave G, acima justamente dos gregos.

Mais decepção teve o jovem sueco Alex Kacaniklic, que atuou os 90 minutos do empate sem gols - e sem graça - contra a Irlanda, em Estocolmo. O time de amarelo aparece no segundo lugar do grupo C, com oito pontos (cinco atrás da Alemanha).
Finlândia obteve bom empate na casa da Espanha
Se até agora praticamente só vimos decepções para os jogadores do Fulham, é hora de ver aqueles que se deram bem. Caso do goleiro Jesse Joronen - quarto na hierarquia dos Whites -, que ficou no banco, mas sua Finlândia obteve um positivo empate por 1 a 1 na Espanha, pelo grupo I. Mesmo assim, a situação do país é praticamente irreversível: com dois pontos, é lanterna da chave.

Outros dois cottagers não saíram do banco durante as vitórias de suas seleções: Mladen Petric e Stanislav Manolev. O croata viu seu time fazer 2 a 0 na Sérvia, no primeiro confronto entre ambos após a separação da Iugoslávia. Croatas e belgas lideram o grupo A, com 13 pontos. Já o búlgaro Manolev comemorou seis gols de seu país nos 6 a 0 contra Malta, que levaram a equipe à vice-liderança do grupo B.

Quem saiu do banco nos acréscimos foi Kerim Frei. O jovem winger entrou no minuto final da fácil vitória da Turquia, fora de casa, sobre Andorra: 2 a 0. Com seis pontos, os turcos estão num frustrante quarto lugar na chave D, já há nove pontos da líder Holanda.

Por sua vez, os norte-irlandeses Aaron Hughes e Chris Baird não puderam entrar em campo por outro motivo: a neve. As condições climáticas não favoreceram e o duelo com a Rússia, em Belfast, foi adiado. A Irlanda do Norte está praticamente apenas cumprindo tabela pelo grupo A.
Hodgson viu seu time golear sem dificuldade
Fechando nosso giro europeu, é preciso lembrar de Roy Hodgson. O maior técnico da história cottager não precisou forçar muito seus jogadores para conquistarem uma tranquila goleada sobre San Marino, em Serravalle, pelo grupo H: 8 a 0. Foi a maior goleada inglesa em 25 anos. Na terça, o jogo promete ser mais complicado. O English Team, segundo colocado, visita o líder da chave, Montenegro.

Nas eliminatórias das Américas Central e do Caribe, Bryan Ruiz não conseguiu evitar a derrota da Costa Rica nos Estados Unidos - 1 a 0, gol do ex-cottager Clint Dempsey. O início do time de Ruiz não é dos melhores: um ponto em dois jogos e lanterna do hexagonal final. Na terça, recebe a Jamaica.

O goleiro Neil Etheridge foi titular na fácil vitória das Filipinas contra Brunei (3 a 0), pelas eliminatórias da AFC Challenge Cup, um torneio voltado para seleções emergentes do futebol asiático. Na próxima semana, Etheridge volta a campo contra Camboja e Turcomenistão.

No domingo, um cottager em campo na África. Emmanuel Frimpong entrou no segundo tempo na goleada de Gana sobre o Sudão: 4 a 0, pela terceira rodada do grupo D. Faltnado três jogos, o time ganês aparece em segundo, atrás da Zâmbia.

Outros dois cottagers entram em campo apenas na terça-feira. O veterano Mark Schwarzer será o camisa 1 da Austrália contra Omã, nas eliminatórias para o Mundial. Já nas eliminatórias para a Copa da Ásia de 2015, Ashkan Dejagah foi convocado pelo Irã para a visita ao Kuwait.