Repercussões: Blackpool 1-2 Fulham

Hangeland (D) marcou o gol da vitória
Um alívio. Assim o técnico Martin Jol definiu a vitória e a classificação do Fulham sobre o Blackpool, na última terça, conquistada já na prorrogação. O jogo, válido pela terceira fase da Copa da Inglaterra, foi definido graças a um gol de Brede Hangeland, faltando quatro minutos para a decisão ir para os pênaltis.

"Devíamos ter vencido em casa, mas não conseguimos marcar. Nos ver voltando ao jogo a 30 segundos do fim e marcar ainda o gol vencedor foi ótimo", resumiu o manager. O gol de Richardson - que entrara pouco antes - também mereceu comentários do treinador: "Ele fez exatamente o qu eeu tinha em mente quando o coloquei. Ele foi um dos nossos melhores contra o Wigan, quando jogou como lateral-esquerdo, então eu queria descansá-lo esta noite. Mas eu sabia que podia chamá-lo se eu precisasse".

Sobre as mudanças no time em relação ao empate de sábado passado, contra os Latics, Jol revelou um problema muscular com Bryan Ruiz. "Berbatov estava cansado e Ruiz sentiu um pouco do problema em seu tendão novamente", contou.

Por sua vez, o herói da classificação Brede Hangeland foi sincero ao comentar seu gol. E também fez uma revelação: o gol foi acidental. "Me joguei na bola. Não importa quem fez o gol, contanto que ganhamos. Acho que o espírito de luta é uma das qualidades que sempre tivemos no Fulham. Nós sempre continuamos lutando, mesmo quando as coisas não estão indo bem", finalizou.

A próxima etapa da Copa da Inglaterra promete mais dificuldades para o time cottager. O adversário será o Manchester United, no estádio Old Trafford.