Repercussões: Fulham 1-1 Southampton


Berbatov foi o principal personagem da partida
O Fulham manteve a péssima fase e empatou com o Southampton pela Premier League neste Boxing Day. Mais uma vez o time  esteve à frente do placar, mas nos minutos finais cedeu o empate através de um pênalti, que para muitos foi muito duvidoso. E, mais uma vez, os jornais destacaram que o mal resultado deixou o Fulham ainda mais próximo da zona de rebaixamento. Muito comentado também foi a incapacidade dos Cottagers em manter o placar, que começou favorável.


Juiz marca penalidade máxima
Martin Jol também comentou o que ele considerou uma má atuação: “Estou bravo. Nós podíamos ter feito mais gols. Sidwell e Berbatov tiveram algumas chances, mas isto não foi o suficiente para conquistarmos os três pontos".

O manager Cottager criticou o pênalti marcado pelo [arbitro, mas preferiu dar a culpa pela derrota ao próprio time que não conseguiu marcar mais gols para ter uma vitória mais tranquila: “Foi uma mão na bola estúpida, mas você tem que marcar dois ou três gols para ter uma vida mais tranquila. Nós não conseguimos jogar da forma que queríamos. Nós não ligamos bem no meio-campo e na maioria das vezes hoje usamos a ligação direta, com bolas longas, o que não é o que queremos”.

Porém, o maior destaque da partida foi Dimitar Berbatov. A imprensa deu muito destaque ao atacante, pois após fazer o gol dos Whites na partida, o búlgaro exibiu uma faixa com os dizeres “Keep Calm and pass me the Ball” [em português: fique calmo e me passe a bola], uma sátira com a famosa frase "Keep Calm and Carry On”.

Berbatov e sua camiseta
Alguns jornais ressaltaram o bom humor e irreverência do atacante, ainda mais com o time numa fase tão complicada, sendo comparado até com o atacante Mario Balotelli - que, após fazer um gol contra o Manchester United, estampou uma camisa com os dizeres “why always me?” [por que sempre eu?]. Porém, a imprensa mostrou também que Berbatov pode ter mostrado os dizeres de forma egocêntrica, querendo dizer que através dele que a solução do time ocorreria.

Martin Jol, por sua vez, deu mais ênfase ao fato do búlgaro ter levado cartão amarelo, mas não quis polemizar com relação a camiseta: “Foi um pouco tola [a camisa] e eu terei que ter uma palavra com ele. Esta não foi a coisa mais certa a se fazer, mas ele quis fazer uma afirmação”.

“Ele diz aos mais novos todo dia para jogarem com confiança, mantendo a bola e não tendo medo. Você precisa de confiança e autoconfiança para jogar seu futebol. Ele quer que nós joguemos com certo estilo e esta é a mensagem que ele quis passar”.

Outro destaque da imprensa foi a volta de Bryan Ruiz, após longa contusão. Jol mostrou-se feliz com a volta do costarriquenho: “Você vê quando Bryan Ruiz veio a campo e fez diferença. Ele faz a ligação do nosso meio-campo com o ataque. Ele não estava fisicamente bem para começar desde o início da partida, mas esperamos que no sábado, contra o Swansea, ele possa fazer isso. Eu fiquei muito feliz com o meio tempo dele, e queria trazer Bryan desde o começo, mas isso não era possível”.

O próximo jogo dos Cottagers será no sábado, contra o Swansea. A partida será mais uma vez em Londres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário