Quarentão, Mark Schwarzer visa Copa do Mundo

Jol e Schwarzer: bolo de aniversário para os 40 anos do goleiro

Mark Schwarzer completou 40 anos no início do mês. Isso quer dizer que ele pensa em aposentadoria, certo? Errado. O "Aussie", que completou no último domingo o jogo de número 475 na carreira, faz questão de dizer que deseja seguir jogando e representar a Austrália na Copa do Mundo no Brasil, em 2014. Schwarzer falou ao FulhamFC.com sobre sua longa carreira.

"Tudo o que eu estou focando é jogar bem para o Fulham, vencendo os jogos, ter uma boa temporada e qualificação para a Copa do Mundo com a Austrália", afirmou, antes de prosseguir: "Dizem que você sabe quando é hora de se aposentar. Talvez eu queira, mas eu tenho objetivos na minha frente. É tudo parte de um o grande plano".
Já são 142 jogos  pelo Fulham
Schwarzer é profissional há 22 anos. Recentemente, foi o primeiro jogador australiano a completar 100 jogos pela equipe nacional. "Ser o primeiro a chegar a esse marco torna ainda mais especial. Este é um período de transição para a equipe nacional, e não temos muitos jogadores atuando na Premier League. A realidade é que o nosso sucesso está ligado na qualidade dos jogadores que vêm para as grandes ligas, e nós precisamos deles para acelerar o crescimento da seleção", ressaltou.

O camisa 1 também falou sobre a expectativa para a temporada que está em andamento. Uma expectativa melhorada com a aquisição de Dimitar Berbatov. "Era apenas uma questão de quanto tempo para ele se encaixar com a equipe. Seu nível de compromisso, sua habilidade e visão na bola, e as exigências que ele faz de outros jogadores, tudo isso ajudou. A exigência com os jogadores mais jovens, em particular. Ele é duro com eles, mas também rápido em elogiá-los se eles fazem algo bem. Isso é algo que tínhamos perdido", refletiu Schwarzer.

Pela quinta temporada seguida sendo titular em Craven Cottage, Mark Schwarzer segue sendo modelo de consistência para os jovens jogadores e para os fãs. Alguém duvida de que, se a Austrália vier ao Brasil, ele virá também?

Nenhum comentário:

Postar um comentário