Repercussões: Fulham 5-2 Newcastle


Clint Dempsey: grande nome do jogo!
Um jogo de extremos. Assim podemos definir o Fulham neste jogo, e também na temporada. Depois de um primeiro tempo desanimador, o segundo tempo foi uma avalanche branca em Craven Cottage que desnorteou o Newcastle. E essa diferença entre os dois times (Fulham no primeiro tempo, e depois no segundo) foi destacada pelos jornais ingleses. Segundo a imprensa, o primeiro tempo foi amplamente dominado pelos Magpies, sendo considerado uma das melhores atuações no Newcastle na temporada. Porém, a virada e construção da goleada foi de maneira surpreendente e "num piscar de olhos" o jogo já estava 4-1 no segundo tempo.

A irregularidade do Fulham, que perde jogos bobos, mas vence os considerados mais dificeis foi comentado também. "Parece que eles [Fulham] preferem jogar contra os times de cima da tabela" (Daily Mail), referindo-se aos pontos conquistados com os melhores colocados na Premier League.

Outro destaque da imprensa, como não poderia ser diferente, foi Dempsey. Ele fez seu primeiro hat-trick na Premier League, tornando-se o primeiro norte-americano a realizar esse feito.


Martin Jol declarou após a partida: "Nos últimos quatro jogos em casa - contra Bolton, Arsenal, Liverpool e Charlton - temos jogado muito bem", destacou o técnico sobre as partidas em Craven Cottage, que volta a ser um trunfo da equipe. "E mesmo na maneira como jogamos no primeiro tempo [contra o Newcastle] fizemos bem em um 4-3-3, mas eu vi que poderia ter jogado por 24 horas e não teríamos marcado."

Jol explicou uma das mágicas para mudar o jogo no segundo tempo: "A única coisa que faltava era um pouco de ritmo na frente e depois de Steve Sidwell saiu contundido, precisávamos de alguém que mantivesse seguro o meio campo, como Chrissy [Baird]. Que valeu a pena."

"No segundo tempo tomei a decisão de jogar um estilo mais direto com Andy Johnson. Isso foi o que fizemos todo o segundo tempo. Eu não diria que fomos fantásticos, mas nós jogamos com a nossa força."

"Se você tem de reparar as coisas no meio tempo, então você está fazendo isso em retrospectiva, o que significa que você não começou bem, que é o que nós fizemos, por exemplo, contra o Charlton, e até mesmo contra o Liverpool e Bolton", disse Jol com relação as alterações no segundo tempo.

Alem das alterações táticas, outro elemento foi importante para a virada, segundo o manager: "Dissemos ao intervalo que precisávamos mostrar caráter e um desejo de jogar para o clube e para a equipe. Alguém gritou que já tínhamos feito isso antes, então isso foi bom de ouvir. E então se você marcar cinco gols em 45 minutos não é ruim!"

Martin Jol, de maneira irreverente resumiu o jogo: "O primeiro tempo era uma espécie de Brixton [bairro londrino conhecido por ser habitado por pessoas de origens variadas, principalmente afro-caribenhos], o segundo foi de férias na Jamaica."

Dempsey e Zamora
Quem teve declarações de maneira diferente foi Clint Dempsey, que filosofou: "Gols parecem vir em ondas e eu estou apenas tentando continuar trabalhando duro e aproveitar o momento enquanto eu posso, porque mais cedo ou mais tarde elas secam um pouco".

Mas Deuce se mantém com os pés no chão: "Você tem que ficar ligado à terra. Há uma série de altos e baixos. Você pode ir de um hat-trick contra o Charlton para jogar contra Blackburn e perder. Eu não vou deixar meus pés saírem do chão, eu sei que ainda há muito trabalho a ser feito e esperamos que nesta temporada podemos terminar na metade superior."

"Espero que eu possa manter essa forma continuada, desde que eu possa marcar gols porque é uma das minhas partes favoritas do jogo", finalizou Dempsey.

O proximo desafio dos Whites será contra o Everton, em Liverpool, pela Copa da Inglaterra.

Fotos: Fulham

Nenhum comentário:

Postar um comentário