Repercussões: Fulham 1-1 Blackburn

Bobby Zamora comemora o gol
Já sabemos que no ultimo domingo o Fulham empatou em casa, contra o fraco time do Blackburn, pelo placar de 1 a 1. Agora é hora de sabermos como foram as repercussões do jogo na imprensa e em Craven Cottage.


A imprensa inglesa (e brasileira) destacou o primeiro ponto do Blackburn no campeonato, pois os rovers haviam perdido os 3 primeiros jogos e conseguiram seu primeiro ponto graças a uma atuação apática do Fulham. Outro ponto à se destacar foi a fraca atuação do recém-contratado Bryan Ruiz, que não correspondeu as expectativas, mas também não deve ser culpado pelo empate em Craven Cottage.


Ruiz teve atuação apagada
Após o empate em Craven Cottage, o técnico Martin Jol realizou a tradicional entrevista coletiva, onde defendeu o atacante costa-riquenho.


"A idéia é que ele vai ser um jogador de ponta, com o tempo", disse Martin Jol. "Mas você tem que ser realista. Ele tem que se acostumar com o estilo de jogo Inglês. Há um monte de jogadores estrangeiros que nunca conseguiram lidar com isso, mas ele é um cara inteligente que quer conseguir as coisas com a gente. Ele simplesmente não conseguia se movimentar na área, onde ele é muito bom.


Dembele e Sidwell
Outro a falar após o empate em Craven Cottage, foi o meio-campo Steve Sidwell, que revelou toda a sua frustração com o resultado em casa.


"Foi uma tarde frustrante", avaliou o meia. "No primeiro tempo nós levamos um tempo para entrar no jogo. Estávamos recuados, à espera de o jogo fluir para nós, mas depois que Bobby marcou, tivemos uma idéia sobre o jogo e mostramos o nosso jogo para eles.


"Então, no segundo tempo eu pensei que nós dominamos o jogo, e tivemos algumas chances, mas simplesmente não conseguimos o segundo gol."


De fato, o time do técnico Martin Jol certamente tinha a posse de bola, mas achou difícil encontrar um caminho através de um Blackburn, que por longos períodos do jogo, tinha 10 homens atrás da bola.


"Mesmo se você é um dos melhores times do mundo é difícil de quebrar dois bancos de quatro ou nove jogadores atrás da bola - é difícil", reflete Sidwell. "Mantivemos a posse, mas ela simplesmente não funcionava à nosso favor. Não conseguimos esse objetivo, mas se o mesmo acontece na próxima vez nós vamos continuar a trabalhar e esperamos ter um pouco mais de sorte."


Sidwell também falou sobre a estréia do atacante costa-riquenho Bryan Ruiz e também partiu em defesa do novo companheiro.


"Alguns jogadores já chegam correspondendo, mas isso é mais difícil quando se trata de uma transferência feita pouco antes do prazo final. É útil se você pode vir mais cedo, ter um pouco de pré-temporada e conhecer o grupo, mas ele esteve aqui só três ou quatro dias e seria difícil para qualquer um se adaptar a isso, é como deixar alguém sozinho em um país estrangeiro", disse Steve em defesa de seu novo companheiro de equipe.


"Mas você pode ver que ele tem potencial, ele teve alguns bons toques e uma vez que ele recebeu em velocidade, ele foi bem. Leva tempo para pessoas diferentes, se adaptarem à horários diferentes, mas ele vai conseguir. Obviamente queremos que isso aconteça imediatamente. Às vezes ele fará, às vezes não, mas para atacantes como ele, eu acho que pode ser um caso de conseguir um gol logo nos primeiros jogos, para aumentar a confiança."


Não foi uma atuação das melhores, contra um retrancado Blackburn. Não se pode botar a culpa ou pressionar um jogador que chegou ao clube há cerca de 4 dias antes do jogo e já foi titular, mas esperamos que a adaptação de Bryan Ruiz seja rápida e que ele possa atuar no mesmo nível, ou melhor, do que nos conheciamos dele no Twente. Que venha a Liga Europa!


Fotos: fulhamfc.com


COME ON YOU WHITES!

Um comentário:

  1. O Bryan Ruiz não é jogador para o Fulham, já o tinha visto a jogar no Twente e achei isso, ele não é o ponta de lança que o Fulham precisava e não tem capacidade para ser titular numa equipa da premier league, este ano o Fulham tem de mostrar mudanças rapidamente, e não falo apenas na habitual chicotada psicológica em relação ao treinador, mas há muitos jogadores a mais e muitos jogares em falta

    ResponderExcluir