Especial Europa League, Ep. 5 - Fase de grupos começa na Bulgária


Devido a problemas em administrar nosso tempo e nossa memória, excepcionalmente apresentamos o Especial Europa League desta semana na sexta-feira. Já estamos na parte 5. Bem, após eliminar Vetra e Amkar nas fases preliminares, o Fulham enfim chegava à fase de grupos, aguardando um bom sorteio para aumentar suas chances de alcançar o mata-mata.


.
Os Cottagers caíram no grupo 5, ao lado de AS Roma, Basel e CSKA Sofia. Um grupo que dava condições teoricamente boas para o time de Roy Hodgson se classificar, nem que fosse com o segundo lugar. A estreia ocorreu em 17 de setembro de 2009, uma quinta-feira, na cidade de Sofia. Na ocasião, Hodgson optou por usar os titulares entre os jogos da Premier League naquele meio tempo, usando os reservas no começo da Liga Europa.
.
No domingo anterior à estreia, Paul Konchesky e Damien Duff deram a vitória aos Whites sobre o Everton (2 a 1), em Craven Cottage. Ambos sequer viajaram para jogar contra o CSKA. Deste modo, todos os atletas de linha no banco de reservas em Sofia eram do Fulham Reserves - Watts, Anderson, Marsh-Brown, Smith, Saunders e Uwezu.
.
Nenhum deles entrou em campo. Hodgson não efetuou trocas no onze que começou jogando (Stockdale, Kelly, Baird, Smalling, Pantsil, Greening, Gera, Riise, Davies, Nevland e Kamara). Dos onze, apenas Stockdale e Pantsil estiveram em ação na partida já citada contra o Everton - o goleiro substituía Schwarzer, lesionado, na oportunidade.
.
Com um time sem nenhum entrosamento, o Fulham pouco fez além de se defender durante boa parte do confronto contra o que viria a ser o lanterna da chave. Stockdale teve um bom papel e impediu os gols búlgaros, que tentaram com Todorov e Stoyanov.
.
O camisa 12, no entanto, nada pôde fazer para negar o gol ao brasileiro Michel Platini - isso mesmo, ex-jogador do Veranópolis (RS). O chute de fora da área foi no canto esquerdo para abrir o placar aos 17 minutos da etapa final.
.
Mas, três minutos depois, os Cottagers acharam o empate. E foi um achado mesmo: Erik Nevland lançou Kamara, que passou pelo goleiro e chutou de canhota. Num dos poucos momentos de ataque, o time fez o suficiente para sair da Bulgária com um ponto em sua estreia.
.
Uma estreia que botava em dúvidas as reais pretensões do time na competição. Se o plano era usar um time desfalcado de seus principais atletas, "de que adiantara a bela campanha na última temporada?", perguntavam-se os fãs dos whites. O próximo desafio seria somente a Roma, em Londres, e a expectativa era de que Roy Hodgson escalasse seus titulares, ao menos para evitar a primeira derrota cottager em casa em competições europeias.
.
Mas isso é algo que veremos na próxima semana, na sexta parte do nosso Especial Europa League.
.
Fotos: files.myopera.com e Fulham FC
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário